Suíça - Outono/2008

terça-feira, 27 de abril de 2010

Dor
Reconhecer que sou triste me tranquiliza.
Eu sinto dor.
A dor é minha!
Desde pequena acompanha-me ao circo
Onde o espectador não acha graça.
A apatia domina-me.
Paralíticamente intra-morta.
Saber que a dor é minha, me traz alento.
Um moço parecido com o passado está á minha frente.
Sinto nisso alguma satisfação...
A dor se vai, fica o vazio.
O vazio é deprimente, seria melhor a dor.
Ela faz companhia.

Nenhum comentário: